Bem-vindos ao meu sítio!

Chamo-me Ricardo Fabrício Rodrigues, sou professor auxiliar da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade da Madeira e membro do grupo de investigação “Trabalho e Emprego” do SOCIUS – Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações, unidade que integra o consórcio CSG – Investigação em Ciências Sociais e Gestão (ISEG-UL).

Doutorei-me em Sociologia Económica e das Organizações (2008) no Instituto Superior de Economia e Gestão – Universidade Técnica de Lisboa e desenvolvi a minha formação académica no ISEG/UTL (doutoramento e mestrado), na Universidade Católica (Pós-Graduação) e no ISCTE (licenciatura).

O (des)emprego, o envelhecimento, a virtualização das práticas humanas, a empresarialização da sociedade e as ideologias na atividade organizacional constituem os meus principais interesses de investigação. Através das minhas atividades sociológicas procuro contribuir para o diálogo interdisciplinar (Ciências Sociais e Gestão), que os fenómenos e os problemas da contemporaneidade tanto necessitam.

No meu trajeto profissional tenho-me deparado, frequentemente, com a dialéctica teoria-prática. É inevitável, por vezes difícil e até mal compreendida. “Toda a teoria deve ser feita para poder ser posta em prática, e toda a prática deve obedecer a uma teoria. Só os espíritos superficiais desligam a teoria da prática, não olhando a que a teoria não é senão uma teoria da prática, e a prática não é senão a prática de uma teoria. Quem não sabe nada dum assunto, e consegue alguma coisa nele por sorte ou acaso, chama «teórico» a quem sabe mais, e, por igual acaso, consegue menos. Quem sabe, mas não sabe aplicar – isto é, quem afinal não sabe, porque não saber aplicar é uma maneira de não saber -, tem rancor a quem aplica por instinto, isto é, sem saber que realmente sabe. Mas, em ambos os casos, para o homem são de espírito e equilibrado de inteligência, há uma separação abusiva. Na vida superior a teoria e a prática completam-se. Foram feitas uma para a outra.” (Fernando Pessoa). Sem que a precedência seja o mais relevante. Teoria e prática, prática e teoria, tanto faz desde que mutuamente comprometidas, existem uma para a outra.

No ano letivo 2019/2020, tal como tem acontecido nos últimos anos, sou regente das unidades curriculares Sociologia da Empresa e das Organizações, Comportamento Organizacional e Gestão de Recursos Humanos do curso de Gestão da UMa; todas com um significado especial na carreira universitária que desenvolvo; todas dotadas de objetivos gerais e particulares; todas relacionadas com a tríade (sociedade – trabalho – organizações); todas ao serviço da compreensão e da acção nos contextos socioeconómicos da contemporaneidade.

Feita esta breve apresentação, resta-me agradecer pela visita.

Até breve!

P.S. – Os materiais de apoio ao funcionamento das unidades curriculares encontram-se disponíveis (nas entradas SEO, COrg, GRH), embora o acesso aos mesmos seja uma prerrogativa dos meus alunos.