PT

Bem-vindos ao meu sítio!

Chamo-me Ricardo Fabrício Rodrigues. Sou professor auxiliar da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade da Madeira e membro do grupo de investigação “Trabalho e Emprego” do SOCIUS – Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações, unidade que integra o consórcio CSG – Investigação em Ciências Sociais e Gestão (ISEG-UL).

Doutorei-me em Sociologia Económica e das Organizações (2008) no Instituto Superior de Economia e Gestão – Universidade Técnica de Lisboa e desenvolvi a minha formação académica no ISEG/UTL (doutoramento e mestrado), na Universidade Católica (Pós-Graduação) e no ISCTE (licenciatura).

O (des)emprego, o envelhecimento, a virtualização das práticas humanas, a empresarialização da sociedade e as ideologias na atividade organizacional constituem os meus principais interesses de investigação. Através das minhas atividades sociológicas procuro contribuir para o diálogo interdisciplinar (Ciências Sociais e Gestão), que os fenómenos e os problemas da contemporaneidade tanto necessitam.

No meu trajeto profissional tenho-me deparado, frequentemente, com a dialéctica teoria-prática. É inevitável, por vezes difícil e até mal compreendida. “Toda a teoria deve ser feita para poder ser posta em prática, e toda a prática deve obedecer a uma teoria. Só os espíritos superficiais desligam a teoria da prática, não olhando a que a teoria não é senão uma teoria da prática, e a prática não é senão a prática de uma teoria. Quem não sabe nada dum assunto, e consegue alguma coisa nele por sorte ou acaso, chama «teórico» a quem sabe mais, e, por igual acaso, consegue menos. Quem sabe, mas não sabe aplicar – isto é, quem afinal não sabe, porque não saber aplicar é uma maneira de não saber -, tem rancor a quem aplica por instinto, isto é, sem saber que realmente sabe. Mas, em ambos os casos, para o homem são de espírito e equilibrado de inteligência, há uma separação abusiva. Na vida superior a teoria e a prática completam-se. Foram feitas uma para a outra.” (Fernando Pessoa). Sem que a precedência seja o mais relevante. Teoria e prática, prática e teoria, tanto faz desde que mutuamente comprometidas, existem uma para a outra.

No ano letivo 2019/2020, tal como tem acontecido nos últimos anos, sou regente das unidades curriculares Sociologia da Empresa e das Organizações, Comportamento Organizacional e Gestão de Recursos Humanos do curso de Gestão da UMa; todas com um significado especial na carreira universitária que desenvolvo; todas dotadas de objetivos gerais e particulares; todas relacionadas com a tríade (sociedade – trabalho – organizações); todas ao serviço da compreensão e da acção nos contextos socioeconómicos da contemporaneidade.

Feita esta breve apresentação, resta-me agradecer pela visita.

Até breve!

P.S. – Os materiais de apoio ao funcionamento das unidades curriculares encontram-se disponíveis (nas entradas SEO, COrg, GRH), embora o acesso aos mesmos seja uma prerrogativa dos meus alunos.

EN

Welcome to my place!

My name is Ricardo Fabrício Rodrigues. I am assistant professor at the Faculty of Social Sciences at University of Madeira and a member of the research group “Labor and Employment” at SOCIUS – Center for Research in Economic and Organizational Sociology, a unit part of the CSG consortium – Research in Social Sciences and Management (ISEG-UL).

I obtained my PhD in Economic and Organizational Sociology (2008) at the ISEG – Technical University of Lisbon and developed my academic training at ISEG / UTL (doctorate and master’s), Catholic University (Postgraduate) and ISCTE (degree).

(Un)employment, aging, the virtualization of human practices, corporatization of society and ideologies in organizational activity are my main research interests. Through my sociological activities, I try to contribute to the interdisciplinary dialogue (Social Sciences and Management), which the phenomena and problems of contemporaneity need so much.
In my professional career, I have often encountered the theory-practice dialectic. It is inevitable, sometimes difficult and even misunderstood. “The whole theory must be made in order to be put into practice, and the whole practice must obey a theory. Only superficial spirits turn off the theory of practice, not looking at what the theory is but a theory of practice, and the practice is nothing more than the practice of a theory. Those who know nothing about a subject, and achieve something in it by chance or chance, call “theoreticians” those who know more, and, by chance, achieve less. Who knows, but not knows how to apply – that is, those who do not know at all, because not knowing how to apply is a way of not knowing -, has a grudge against those who apply instinctively, that is, without knowing that they really know, but in both cases, for men they are in spirit and balanced in intelligence, there is an abusive separation. In higher life, theory and practice are complementary. They were made for each other. ” (Fernando Pessoa). Without precedence being the most relevant. Theory and practice, practice and theory, as long as they are mutually committed, exist for each other.

In the academic year 2019/2020, as has been the case in recent years, I am responsible of the course units Sociology of Enterprise and Organizations, Organizational Behavior and Human Resources Management of the UMa Management course; all with a special meaning in the university career I develop; all with general and particular objectives; all related to the triad (society – work – organizations); all at the service of understanding and action in contemporary socio-economic contexts.

Having made this brief presentation, I can only thank you for the visit.

See you later!

P.S. – The support materials for the course units are available (in the SEO, COrg, GRH entries), although access to them is a prerogative of my students.